Operação Gota leva vacina a populações isoladas, ribeirinhos e povos indígenas do Acre

0
17
Operação Gota em Sena Madureira, em 2021. Foto: arquivo

O governo do Acre, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) e em parceria com o Exército Brasileiro, iniciará no início do próximo mês a Operação Gota, que visa levar a imunização à população dos municípios de difícil acesso, aos ribeirinhos e povos indígenas do estado.

Na manhã desta quarta-feira, 23, a secretária Saúde, Paula Mariano, participou de uma reunião de alinhamento com o Programa Nacional de Imunização (PNI) e com o Exército Brasileiro para definir as ações e a programação da operação no Acre.

O procedimento, que durará 14 dias e deverá alcançar quatro mil pessoas, será iniciado no dia 1º de julho, sexta-feira, e realizado pelos ministérios da Saúde e da Defesa, com apoio da Força Aérea Brasileira (FAB), do Estado e das prefeituras de oito municípios do Acre: Rio Branco, Feijó, Cruzeiro do Sul, Sena Madureira, Tarauacá, Jordão, Porto Walter e Marechal Thaumaturgo.

A estratégia teve início em 1993, como iniciativa isolada do Amazonas, após a notificação de surtos de sarampo em populações indígenas da região do Rio Juruá. Desde então, consolidou-se no país como uma ação imprescindível para a realização de multivacinação em áreas mais isoladas. Atualmente, abrange os estados do Amazonas, Acre, Amapá e Pará.

Renata Quiles, coordenadora do Programa Nacional de Imunização no Acre.

“O nosso esforço, somado ao das prefeituras e das Forças Armadas, é para que essas populações sejam atingidas pelo esquema vacinal”, destaca Renata Quiles, coordenadora do PNI no Acre.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui