25 fevereiro 2024

Em Bujari vereadora é alvo de ofensas machistas e ameaças de colega parlamentar: ‘vou te quebrar’

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Publicidade

A vereadora Eliane Abreu (PP), do município de Bujari, no interior do Acre, denunciou que foi alvo de ofensas e ameaças por parte do vereador Gilvan Souza (PCdoB), na última sexta-feira (27), na Câmara de Vereadores da cidade.

O g1 tentou contato com o vereador e com o presidente da Câmara do Bujari, mas ainda não obteve resposta.

A parlamentar afirma que, durante a discussão de um projeto que retiraria o pagamento de gratificação a servidores municipais, ao qual ela era contrária, Gilvan Souza teria iniciado as ofensas. Os vereadores estão em recesso parlamentar, mas foram convocados para uma sessão extraordinária que votaria o projeto encaminhado pela prefeitura.

“Como estamos em recesso, só podemos ser convocados em caso de matérias de interesse público e esse projeto tiraria direitos dos servidores, que é o anuênio, e eu sou contra. Eu argumentei que essa votação era de interesse apenas da prefeitura e esse processo tinha vários pontos incorretos. Parte dos vereadores concordaram, a assessoria jurídica também, e o presidente resolveu não dar continuidade. Nesse momento, ele [Gilvan Souza] ficou muito irritado e passou a me agredir, levantou calúnias. Citou palavras que eu nunca tinha falado, tentou jogar outros vereadores contra mim”, alega.

Com o início das ofensas, a parlamentar tentou contra-argumentar e a discussão seguiu até o momento que Gilvan Souza partiu para agressão física. “Eu tentei com argumentos técnicos, mas não adiantou, ele dava socos na mesa. Depois de muitos socos na mesa, palavras de baixo calão e intimidação, ele partiu pra agressão e disse: ‘eu vou te quebrar’, relata a vereadora.

Segundo Eliane Abreu, o parlamentar apresentava sinais de embriaguez e só não conseguiu efetuar as agressões físicas porque foi contido por outro colega. A vereadora afirma agora que irá fazer um boletim de ocorrência na Delegacia da Mulher (Deam) de Rio Branco nesta segunda-feira (30).

O Movimento Mulher Progressista, do partido da vereadora, divulgou uma nota de repúdio às agressões e disse ser “inadmissível que um homem use de ameaças e agressões às mulheres para impor autoridade ou expressar descontentamento por motivo de qualquer natureza”. (Confira no fim do texto a nota na íntegra)

Caso não é inédito
Vereador Gilvan Souza também teria ofendido Eliane Abreu em outra sessão, em 2021 — Foto: Arquivo pessoal

Vereador Gilvan Souza também teria ofendido Eliane Abreu em outra sessão, em 2021 — Foto: Arquivo pessoal

Em 2021, a vereadora também chegou a apresentar uma denúncia semelhante contra Gilvan Souza. Durante uma sessão, ele a teria ofendido e ela prestou queixa. O fato acabou sendo resolvido dentro do código de ética da casa e o processo foi concluído com um pedido de desculpas.

“Sempre que há uma discussão, eu me coloco dentro da lei. Isso irritava ele e eu sentia essa rispidez. Da outra vez, ele me xingou, usou palavras bem ruins. Eu fui na delegacia, prestei queixa. No decorrer do processo, o presidente nos chamou para uma reunião e disse que tomaria uma providência dentro do código de ética. Ele [Gilvan Souza] me pediu desculpas e eu aceitei”, conta.

Machismo na política

Eliane Abreu ressalta que, dessa vez, sente que está recebendo muito apoio, principalmente de outras parlamentares e ativistas de direitos das mulheres. Para ela, a agressão sofrida em plenário reflete situações que mulheres enfrentam no dia a dia, ainda mais na política.

“Eu tenho falado que esse assunto não é sobre mim, é sobre nós. Quando é mulher você precisa estar provando todos os dias que tem capacidade, você tem que ser muito boa para que seja ‘mais ou menos’ na visão de um homem”, avalia

A parlamentar afirma ainda que sente um preconceito agravado pelo fato de ser mãe divorciada. Mesmo afirmando se sentir desprotegida no local onde deveria estar segura, ela também ressalta que há parlamentares que respeitam mulheres na política.

“Eu nem quero que me respeite como mulher, me respeite como parlamentar. Sou tão parlamentar quanto ele”, conclui.

Nota do partido

O Movimento Mulheres Progressistas Acre manifesta seu total repúdio à violência sofrida pela vereadora progressista Eliane Rosita, durante uma sessão realizada na Câmara Municipal de Vereadores de Bujari na sexta-feira (27/01), praticada pelo vereador Gilvan de Souza

É inadmissível que um homem use de ameaças e agressões às mulheres para impor autoridade ou expressar descontentamento por motivo de qualquer natureza. Repudiamos todo tipo de violência contra as mulheres, inclusive a política onde juntamente com o machismo demonstram a luta diária das mulheres em ingressar em espaços de trabalhos e decisões.

Diante disso o Movimento Mulheres Progressistas manifesta sua solidariedade à Vereadora e repudia qualquer violência contra as mulheres.

Movimento Mulheres Progressistas Acre
Presidente Gizelda Silveira
Vice-presidente Nazaré Sousa

Por G1/Ac

Veja Mais